11 de jan de 2015

TEMPO

o tempo
está
devorando
tudo
de mim
está
roubando
minha vida
os meus
segundos
que restam
o tempo
está
voando
contra minhas
paredes
está
me deixando
fraco
atortoado
sem saber
quantos passos
ainda restam
penso
se haverá
futuro
e quantos futuros
ainda virão
o tempo
está
secando
as flores
deste meu jardim
e meus
ontens
ainda estão vivos
e o tempo
arrastando tudo
levando
tudo de mim