31 de jan de 2015

TEM DIAS




Tem dias
Que até a poesia
Chora
Geme
De dor
Se revolta
Grita
Esperneia
Tem dias
Que até mesmo
A poesia
É a puta
Dos meus
Transtornos
Meu tanque
Minha privada
Minha baderna
Tem dias
Que até a poesia
Se culpa
E chora
E me faz transbordar
Me faz querer morrer
Tem dias
Que morro
Sufocado pela
Dor da poesia