19 de jan de 2015

SOMBRAS DA MINHA VIDA



Gosto
De ficar
Na sombra
Da minha vida
Olhando
O rio
Do meu tempo
Passar
De vez em quando
Atiro-me
Matreiro
Em suas águas
E deixo
Sua correnteza
Levar-me
Para outra margem
Do outro lado
De lá
Gosto
De ficar
Sentindo
Este vento quente
Soprar
Gosto
De deixar
O sol derreter
Meus sentidos
Gosto de ficar
Sem pensar
Nas margens do rio
Do meu tempo
Nas sombras imensas
Da árvore da minha vida