1 de jan de 2015

SEM PENSAR

não gosto
de sentar
e pensar
no que vou escrever
gosto
de sentar
e olhar
para o papel
e desenhar
aos poucos
as letras de uma poesia
gosto
de ter ainda
as velhas
sensações
ver as mesmas emoções
escorrendo
e preenchendo
o vazio
do papel em branco
ainda
há em mim
muito
o que escrever
ainda há em mim
muito o que dizer
eu só não sei
o que