10 de jan de 2015

RIOS DE OCEANOS

ah
noites
de insônia
noites
quentes
olho para o mundo
tudo tão perdido
todos tão carentes
ah
noites
sem perfume
pensamentos
que viajam
procurando
um ninho
onde possam
repousar
os instintos
dessa vida
sem sentido
ah
essas asas
cortadas
essa gaiola
essa prisão
essa liberdade
de amarras
ah
toda loucura
que me cabe
toda essa imensidão
de sentir
e sentidos
ah
esse rio
que agora desagua
neste oceano