24 de jan de 2015

POESIA NUA




Gosto
Quando
A poesia
Vem e escorre
E me consome
E me embriaga
E me desnuda
E me devora
Gosto
Quando
A poesia
Me rasga
A pele
Me beija
A boca
E me faz
Indecência
E me faz vomitar
Pecados
E meu silêncio
Gosto
Quando a poesia
Se faz amante
De pernas abertas
Nos sussurros
Silenciosos
E se entrega