16 de jan de 2015

DIAS DE SOL



Respiro fundo
E sigo
Sob este céu
Sob este sol
Sem saber para onde sigo
Olhando as placas
Vendo as pessoas desconhecidas
Presas com suas algemas
Respiro fundo
Buscando a vida
Para este coração cego
Inebriado
As ruas sujas
O ar quente
O suor
Respiro fundo
Desvairado por ai
Neste labirinto
Caçando presas imaginárias
Querendo remanso
Sombras que não existem
Sigo tentando
Ser forte
Mas este sol
Confunde-me
Deixa-me
Atordoado
Atrapalhado
Vendo miragens