14 de jan de 2015

MEU CANTO

eu preciso
de um canto
para escrever
para pensar
um canto
meu
onde eu possa
morrer
onde eu possa
chorar
onde eu
possa
sei lá
eu preciso
de um canto
de uma máquina
de escrever
de um copo de nada
de memórias
eu preciso
de coragem
um canto
escondido
no mundo
onde eu possa
desnudar
meu corpo
e ficar ali
entre
preces
e demônios
eu preciso
de um canto
sem horas
apenas
meu amor
e minhas paixões
preciso
de papel
e minhas tantas
canetas