5 de jan de 2015

MENTIRAS

devagar
nossas mentiras
virão
verdades
nossos
sonhos
realidades
devagar
nossas decepções
criam
raizes
devagar
nossos olhos
ficam cegos
nossos sentimentos
mortos
desejos
desperdiçados
devagar
o que é verdade
se perde
e os passos
atortoados
perdidos
neste asfalto
devagar
nossas mentiras
nos invadem
nossas confusões
voam como pássaros
nosso
destino
vira poeira
varrida
para debaixo
do tapete
devagar
lentamente