9 de jan de 2015

MAIS NINGUÉM

meus pensamentos
me engolem
me fazem
voar
me roubam o chão
certezas
incertas
já não sei
onde começo
e onde termino
desconheço
o amor
e todos 
os seus sentidos
voo raso
mergulho
infinito
não sei
se paro
ou predomino
não sei
se grito
ou ecou
por entre essas
paredes
quase brancas
eu
neste mar
à deriva
num barco sem remos
sem saber
nadar
sem asas
para poder voar
meus pensamentos
sentimentos
que só eu sei
mais ninguém
mais
ninguém