20 de jan de 2015

GOSTO DE TE RABISCAR



Gosto
De me perder
Em teu silêncio
Gosto
De ficar quieto
Olhando
Tuas estações
Tua fleuma
Gosto
Da inspiração
Dos meus
Sonhos pervertidos
Nas horas
Em que te dedilho
E te escrevo
Gosto
De me perder
Nas curvas
Sinuosas
Do teu corpo
E te rabiscar
Nas paredes
Brancas do meu mundo
Gosto das tuas noites
Mal dormidas
E depois de tudo
Te ler no teu breve sossego