26 de jan de 2015

FUI EMBORA ENTÃO




Fui colher
Uma rosa
Pra te dar
Não havia mais
Rosas
Nem jardins
Fui escrever
Pra ti
Uma poesia
Não havia mais
Palavras
Nas fontes
De meu ser
Fui beijar
Tua boca
E a saliva
Que escorri
Virou
Escárnio
Fui dizer
Eu te amo
E as palavras
Vieram
Em vômitos Lascivos
Fui embora então
Para que não houvesse mais
Tantas despedidas sem razão