17 de jan de 2015

EU NÃO SOU



Eu não sou
Como todos
Ninguém
É como ninguém
Não fico preocupado
Com estilo
Não penso
Em agradar
Pessoa alguma
Apenas
Fico
Escrevo
E deixo escorrer
Pelas pontas
Do dedo
Todas as besteiras
Que sinto
E quanta besteira
Cabe dentro de mim
Eu não sou
Como ninguém
Nem as minhas palavras
São cheias de mim
Cheias do que sinto
Quando abro a janela
Deste meu mundo
Imundo
De nada
Cheio de mim
Não me preocupo em sentir