1 de jan de 2015

DESPEDIDA

não
pude me despedir
nem dizer
adeus
nem falar tudo
o que passei
não pude dizer
que tudo foi
engano
que amor
amor
de verdade
não é assim
não pude
me despedir
apenas
virei as costas
e voltei
a ser quem era
dependente
do amor
que ama de verdade
sou pássaro
sou vento
a poesia que escrevo