"Se procura prazer, poderá encontrar aqui as suas mais diversas formas. Há quem procure palavras, há quem procure belas imagens, há os curiosos, os que admiram minha maneira de escrever. Uns julgam erótico. Outros julgam ser sensual e uns apenas lêem as palavras aqui escritas. Isso é algo que não cabe a mim julgar. Sei das minhas intenções... Sei do meu amor pela poesia... Sei da minha infinita sede de escrever..."
SEJA BEM VINDO - 9 ANOS DE POESIA! ! !

FÃS DE CARTEIRINHA

3 de jan de 2015

DESABAFO DA MADRUGADA

Eu não faço parte deste mundo de pessoas perfeitas e realizadas. Não tenho milhões de amigos e não recebo convites para participar de saraus, vernissages, encontros e outras coisas. Tudo em mim é diferente. Sou pai, avô, marido. Sou chefe de família. Não tenho casa própria, não tenho carro e nem  poupança gorda. Não viajo para Búzios, nem para a França, Boissucanga, Praia Grande. Não faço parte do grupo de pessoas que cultuam Deus. Não vou a igreja e nem ajoelho para rezar ou orar com alguns preferem. Sou abaixo da média. No momento estou desempregado. Recebendo seguro desemprego e pagando a faculdade de jornalismo da minha filha. Tenho internet, telefone, dois computadores, microondas, geladeira e máquina de lavar. Todos os dias, sentamos à mesa para almoçar ou jantar. Conversamos, sentamos juntos na sala para assistir um filme, ouvir música e falar dos planos que não podemos fazer. Odeio dó e piedade. Injustiças. Olhares tortos e julgamentos. Ando sozinho. Vivo sozinho e faço meu caminho. Já errei demais. Acertei demais. Vivi demais. Não sou bem relacionado e por isso não devo favores. Meus livros sou eu quem faço. Um a um. E adoro. Não sou de puxar o saco e nem de ficar lambendo ninguém. Não preciso que gostem de mim. Que me elogiem. Não faço parte deste mundo. Escrevo porque isso faz parte de mim. Amo brincar de ser Deus. Não faço parte desse grupo de pessoas bem sucedidas. Ralo pra caralho. Falo palavrão. Sou amável sim, gentil, cortês e também tudo ao contrário. Me orgulho do homem que sou. Odeio todas as pessoas que roubaram o melhor de mim. Minha sorte é que o melhor de mim é muito grande. Sou feito de amor e de guerras. Sentimental de sentimentos mortos. Alegro-me apenas com a saúde dos meus, minha geladeira cheia. Perguntaram me várias vezes se sou feliz e eu não soube responder. Hoje eu sei. Sou feliz. Sou feliz por ser rei do meu mundo. Não quero nada. Tenho o amor que sempre quis... E a vida... O amanhã talvez. Amigos quem sabe...
Meus labirintos e minha vida...