22 de jan de 2015

APARÊNCIAS




Vivo
Em abismos
Ando
Sempre
No meio fio
Brinco
Com o amor
Que sinto
Vou
Livre
Guiado
Pelo vento
Que sopra
Vivo
Com a boca
Amarga
Com os olhos
Cheios
De sal
Vivo
De tormentas
De mazelas
De aparencias
Vivo da fome
que me alimenta