13 de jan de 2015

ACORRENTADO

sou
preso
às minhas
emoções
e a tudo
que sinto
sou escravo
das minhas
paixões
das minhas
tantas
inconsequências
não
me permito
voar
sem sentir
não me permito
gostar
sem querer
gostar
por gostar
gostar
vazios
sou
preso
ao meu coração
tão cheio
de um amor
quente
tão carente
do mundo
imundo
eu
tão preso
a tudo
às minhas 
emoções
tão vivas
morrerei
assim
acorrentado
a tudo o que sinto