18 de nov de 2014

ONDE ESTOU

onde estão as ruas
e as avenidas
onde as pessoas
que andavam
machucadas
pela vida
onde estão os bancos
e as praças
e as crianças
os velhos
o destino
a vida
onde estão os amores
as paixões
e as raízes
que não me deixavam
voar
onde estão as histórias
as noites
minhas madrugadas
quantas vezes
perambulei
por ai
à toa
sem nada sentir
sem nada querer
olhando
os becos
as vielas
as putas
sentia-me vivo
sentia-me parte
de um nada que não era meu
onde estão
onde estou