24 de out de 2014

MEU EU

meu eu
meu verdadeiro eu
morreu
morreu viciado
por invenções
de amores
tão sem sentido
meu eu
foi assassino
numa esquina
de uma vida qualquer
atropelado
pela ânsia
de viver
uma vida
de tantas ilusões
meu eu
ficou
ali jogado
coberto
estático
gelado
quebrado
sem amor
sem coração
sem alma
piedade
meu eu
morreu
foi atirado
no abismo
de todos os absurdos
que só o amor
consegue
fazer
dar
morrer
matar