30 de out de 2014

E AGORA

e agora
silencio
meus monstros
meus demônios
minha voz
e como se tudo
dentro de mim
tivesse
sumido
ou se calado
ou...
e agora
fico
na minha inercia
na minha realidade
deixei
passar
as paixões
e poesia
virou
passado
e agora
sigo
para o fim de mim
para o fim de nós
para o fim que é certo
preciso
não quero mais
saber o que passou
o que senti
nem o que vivi
o segundo passado
já não me interessa
mais
o que eu escrevi
ficou para trás
e o que aprendi
é que o passado
é o lixo que restou de mim