24 de out de 2014

EM FRENTE

tenho que seguir
para frente
não importa como
se inteiro
ou despedaçado
tenho que fingir
sorrir
engolir
desamores
inverdades
pesadelos
tenho que ir
carregando
meu fardo
de ser como sou
não mais
como fui
nem sei mais
carrego
agora
apenas meu hoje
sem mais lágrimas
bambo
nessa minha corda
bamba
vivendo apenas
e querendo agora
não mais voar
quero ficar onde estou
onde me sinto bem
onde sou eu
e mais ninguém