7 de ago de 2014

DEFORMOU


você deformou
meu rosto
meus dias
meu anoitecer
você deformou
meu coração
meu sentir
e o melhor
que havia em mim
não me matou
porque não me deixei
morrer
tentei
eu quis
me livrar de tudo
o que de você havia
queimei roupas
cartas
bilhetes
quebrei correntes
mandei embora
minha alma
você deformou
meu amor
meu gostar
meu querer
que era doce
inocente
leve
irreverente
me fez pequeno
me fez chorar
zombou de mim
depois
partiu
e eu fiquei ali
sentado
com minhas dores
e as senti
vivas em mim
todas as dores
você parou
eu mesmo machucado
segui
você deformou
meu estado
só não matou meu caráter
minha dignidade