15 de jul de 2014

SILÊNCIO

Agora te dou meu silêncio.
Não posso mais te dar meus desejos.
Eles são meus apenas.
Não posso mais querer-te.
É um querer só meu.
Agora te dou meu silêncio.
Meu inevitável silêncio.
Ainda assim é possível que me sinta.
Pode ser que me busque e me encontre voando por ai
Entre meus versos e meus rios....
Estará em minhas reticências.
Estarei calado
Deixando que tudo de você
Se vá
Ainda que queria sonhar
Ficarei ausente
Sentiras
Ou não tudo o que não foi
Sentiras
Ou não tudo o que poderia não ser
Serás poeta
E eu poesia
Ou não
Continuarás em seu mundo
De certezas
Convictas
E eu no meu mundo
De absurdos
Sou o exagero que há em todos
Os sentimentos
Agora
Não espero mais
Sento nas minhas tardes
Olho o céu
Que sempre estará lá
Agora te dou
Meu silêncio
Para que me encontre
Nos teus desejos
Ou não
Para que sinta minha ausência ou não.
Ficarás
No meus instintos
Nos meus desejos
Nas poesias que escrevi
Nas verdades que não disse...
Agora
Te dou meu silêncio.