22 de jul de 2014

SEM NADA


Adoro
Ficar sem fazer
Nada
Andar pela casa
De madrugada
Abrir a geladeira
E tomar água gelada
De vez em quando
Mastigo
Gelo
Adoro
Ficar perambulando
Entre
Meus surtos
De consciência
Adoro
A escuridão
Dos meus pensamentos
Andar de pé
No chão
Tomar banho
De porta aberta
Cantar
Canção alguma
E me olhar no espelho
Sem nenhuma culpa
Adoro
Sentar no sofá
Olhando
Para o escuro
Das ruas iluminadas
Ver as almas vagando
Adoro
Essa imaginação

Que me faz acordar, dormindo...