11 de jul de 2014

PELOS RALOS

o melhor
de mim
escorreu
pelos ralos
o que ficou
meu amargor
meu desamor
minha intolerância
minha impaciência
o melhor
de mim
escorreu
pela latrina
fui cuspido
como uma azia
o que ficou
foi a incompreensão
tantas incertezas
porques
sem resposta
minha falta
de fé
meu medo da morte
o melhor
de mim
caiu
feito papel amassado
jogado
do alto
de um lugar qualquer
o que ficou
foram angústias
e tantas
noites
sem dormir
foi um corpo cansado
o melhor
de mim
escorreu
pelos ralos
de uma vida
tola
de tolices
tamanhas