30 de jul de 2014

ME ERRO


eu me moldo
me transformo
me deformo
não me importo
deixo-me ir
deixo-me levar
e vou
até que me encontre
em todos
os rostos
por ai
eu me calo
eu me afasto
me defendo
de tudo aquilo
que me assusta
e tanta coisa
ainda
me assusta
visto-me da noite
que cai
visto-me da sombra
que me segue
não sou reto
sou curva em desalinho
sou mais que a metade
sou um trago
no cigarro
apagado
sou circunstância
eu me moldo
faço de mim
rascunho
me erro
me enterro
me desespero
borboleta
mariposa