15 de jul de 2014

GOSTO DE PENSAR VOCÊ

Gosto de pensar você.
Pensar como seria se eu pudesse estar do seu lado.
Gosto de pensar nessas sensações. Gosto de imaginar nosso silêncio.
Pensar para onde iríamos. Talvez criássemos coragem de ir para a praia. Ficar ali sentado de frente para o mar deixando que todo resto de nós, nos deixasse.
Gosto de pensar você.
Sem o caos de todos os dias. Sem as velhas pretensões de todos os seres humanos.
Gosto de pensar no encontro. Em todas as possibilidades.
Isso está em mim. Faz parte do meu eu.
Fecho os olhos e imagino seus longos cabelos balançando ao vento, seu perfume embriagando o mundo. Posso ouvir o som mágico da sua risada. Posso desenhar em mim a emoção de ter seus olhos mergulhados nos meus.
Gosto de pensar neste encontro casual. Nesta fuga da realidade.
Faço isso sempre. Sempre fujo. Sempre me calo. Prefiro imaginar a sentir. Prefiro sonhar a viver.
Alguns riscos são desnecessários.
Basta-me escrever.
Li uma vez que se você quiser acabar com qualquer sentimento em relação a uma mulher, escreva-a. Torne-a literatura.
Gosto de pensar. Ando tanto por ai.
Olho as pessoas que passam por mim. Sinto perfumes que se misturam com ar dessa cidade. Gosto da sensação de saber que em algum lugar, existe você. Inalcançável. Inatingível.
Gosto de viajar para fora de mim. Depois a realidade se torna mais leve.
Algumas pessoas nos envolvem, nos encantam e marcam positivamente nossas vidas. Algumas pessoas nos fazem voar, mesmo sem fazer nada. Apenas sua existência. Simples e inesquecível existência.
Eis o prazer de escrever.
Posso despi-la em pensamento. Posso amá-la e senti-la. Posso viver todos os mais prováveis absurdos. Posso tocá-la. Posso ficar apenas te olhando. Fecho os olhos e deixo que você aconteça. Sinto o gosto gostoso da tua saliva. Seu beijo doce e incandescente. Posso dedilhar com calma seu corpo. Ouvir seus gemidos. Posso ser o amante, o amado, o amigo.
Basta para que me sinta embriagado. Basta para que a transforme em poesia.
Basta para que a tenha eternizada em minhas memórias.
Gosto de pensar você.
Imaginar como seria tudo. Como seria interessante viver um instante ao seu lado.
Prefiro as incertezas. Prefiro meus delírios.
Minhas noites de insônia.
Sonhos nunca me machucaram. Nunca arranharam minha alma.
Sonhos me sustentam.
Gosto de pensar você.
No pecado da sua existência. No por que... Por que pessoas aparecem assim como um presságio, como um golpe de um destino de cartas marcadas. 
Esse gosto proibido na boca. Essas incertezas.
Os silêncios de sua boca. Meus gritos.
Gosto de pensar você.
De pensar nos abismos que nos cercam.
Na ilha que derrepente nos tornamos. Que me importa saber se a recíproca é verdadeira. Pouco me importa. Este sonho é meu e eu o sonho até que seus ventos deixem de soprar. Haverá em mim o doce prazer de pensar em você. De imaginar nós dois sentados à beira mar, olhando a noite cair, precisando ir, sem ter coragem de colocar de novo os pés no chão.
Fica em mim as verdades que sinto. As verdades que invento.
Talvez, tudo isso seja mentira.
Talvez você não seja nada disso.
Gosto de pensar em todas as incertezas.
E deixar que tudo fique apenas no papel...
Não preciso mais... Nada mais me cabe...