2 de abr de 2014

XINGU


Ainda
Vou morar no Xingu
Andar
Pelado
Tomar Santo Daime
Fumar maconha
Comer tapioca
Pescar
O dia inteiro
Quebrar o celular
O relógio
Pra não ver o tempo passar
Ainda
Vou morar no Xingu
Andar
Despreocupado
Sem I-Phone
Sem MP3
Sem Tablet
Sem televisão
Sem computador
Ainda
Vou me desprender
De tudo
Das roupas
Das preocupações
Quero o vento
Um único vento
Quero morrer
Sem tormento
Enterrado
Na sombra calma
De uma figueira