7 de abr de 2014

PARTES

deixo
por ai
partes
das poesias
que escrevo
deixo
por ai
partes
do melhor
de mim
quem sabe
amanhã
depois
que o fim de tudo
chegar
e possa
eu enfim
ser o vento
que sempre quis
que alguém
cante
meu nome
em algum canto
qualquer
deixo
por ai
lembranças
de uma vida
inteira
em rascunhos
em cálice
e cinzeiros
deixo
por ai
as cinzas
do que fui
e sei que amanhã
serei
o vento
que sempre sonhei