5 de abr de 2014

PAPÉIS


Papéis voam
Amassados ou não
Papéis voam
Gritos
Se escutam
Ou não
Noites
Assombram ainda
Sonhos
Que param
Desejos
Que morrem
E quantas
Vezes
A que se deixar
De ser
Quem se é
E quantas vezes
Se perder
Para se achar
Erros
Tropeços
Destino
Papéis contam inverdades
Rasgados ou não
Voam por ai
Sem rumo
Amassados ou não
Gritam nossas verdades
Papéis
Cheios de merda
Papéis
Cheios de passado
Noites
Dias
Semanas
Quantas madrugadas
E os bêbados
E os poetas
Os loucos
As putas
E os papéis que voam...