6 de abr de 2014

NUNCA

que eu nunca
me canse
de escrever
de amar
de sentir
que eu nunca
me canse
dos detalhes que
sempre
me encantam
não me canse
do riso
do abraços
e dos beijos por acaso
que eu nunca
me canse
de mim
de ser assim
errante
poeta
de instantes
vendaval
furacão
temporal
que eu nunca me canse
de buscar
instantes
que me façam viajar
que eu nunca
me canse
dos amores
que me fazem escrever
e que haja
sempre
em mim
verdades
e um amor
mais que eu