7 de abr de 2014

NEBLINA

acordo
abro
a janela
neblina
penso
em meus olhos
cansados
de tudo
que vejo
ardem
ainda
confusos
cheios
de solidão
cheios
da mesmice
de todos os dias
neblina
antes
do sol
nascer
antes
que todos ocupem
as calçadas
vazias
antes
que haja o pão
nosso de cada
dia
nas padarias
e as putas
se escondam
com medo
da luz do sol
neblina
meus olhos
cansados
olham
através da janela
penso
que são meus olhos
não são
neblina