2 de abr de 2014

NÃO ME LEMBRO


Não lembro
Dos teus olhos
Nem da tua voz
Não lembro
Como eram vazios
Teus beijos
E quão vagas
Eram tuas palavras
E juras
De desamor
Não lembro
Quais são
Teus caminhos
Nem quais
São tuas veredas
Lembro
Apenas
Que foste em minha vida
Obra do acaso
De um destino
Falho
Lembro eu ali
Largado
Jogado no chão de angústias
E teu riso
Perpetuado
Em cada arfar
De uma respiração
Cansada
Não lembro
De mais nada
Mas não esqueço
Todo mal que me fez
Há cicatrizes
Que deixaste
E que ainda insistem
Em me fazer lembrar