6 de abr de 2014

CARÊNCIA

deixei
a carência
cuidar de mim
dos meus instantes
de solidão
pude sentir
devagar
um êxtase
tomar conta
do meu eu
me despi
de toda vergonha
lágrimas
escorreram
um um riso
silencioso
se fez
na escuridão
da minha noite
deixei
a carência
me abraçar
para me sentir
um pouco mais amada
tocada
em minha alma
em minha
sensações
em meus sentimentos
agora tão guardados em mim
ontem
me vesti de poesia
e a noite
se fez mais florida
alegre
com um doce beijo
e um gostoso abraço
que nunca mais
há de se desfazer
ontem