29 de mar de 2014

VENENO


até que todo veneno
saia
ate que tudo
de verdade
fique no passado
não creio mais
em sorrisos
em abraços
em beijos vazios
escassos
até que todo mal
seque
não creio mais
em amor algum
nem em olhares
e nem em qualquer
corpo
estirado numa cama
sem lençois
até que haja
a morte
de tudo
e que toda maldade
não escorra
mais pelas veias
não confio mais
em mentiras
em destino
na vida
à toa
chega de veneno
chega de estupidez
chega de insanidade
quero verdades
rasgadas
cruéis
verdades que não me deixem mais
cair na inércia
de um mal amor
veneno