25 de nov de 2013

NUNCA MAIS

Nunca mais
Quero nunca mais
Nunca mais
Vou
Pra que ir
Todos os outros caminhos
São precipício
Quase um suicídio
Nunca mais
Quero nunca mais
Pra que esperanças
Tantas expectativas
Tudo dá em nada
Pra que não seguir
A linha tênue
Da vida
Nunca mais
Quero loucuras
Que não as minhas
Ler poesias
Sem antes rabiscá-las
No papel
Nunca mais
Quero tardes nos cinemas
Acompanhados de mim
Quero ficar sentado no sofá
Esperando a morte (não a minha) chegar