12 de nov de 2013

INERTE

Pontes
Caíram
Muros
Foram erguidos
Amizades
Foram desfeitas
Inverdades
Foram ditas
Perdeu-se a fé
Aprende-se a crer
Pintou-se o diabo
Mais lindo
Acabaram com Deus
Comeram merda
Cuspiram lixo
Pontes
E muros e cercas
Cacos, espinhos, farpas
Há asas
Que fazem voar
Há lembranças
Que me dizem
O que não quero mais
Aprendi
A ficar inerte aos meus desejos