22 de out de 2013

SEM MEDO

Tudo vem
Como avalanche
Toma conta
De mim
E daí
Sonho com minhas
Asas imaginárias
E vôo
Por ai
Sem medo algum
Sem culpa
Por querer viver
Todos os absurdos
Tudo vem loucamente
Confundir
Meus sentidos
Adormecer
Minhas artérias cansadas
Me fazer
Ainda mais
Louco
Diante de mim
Diante de tudo