"Se procura prazer, poderá encontrar aqui as suas mais diversas formas. Há quem procure palavras, há quem procure belas imagens, há os curiosos, os que admiram minha maneira de escrever. Uns julgam erótico. Outros julgam ser sensual e uns apenas lêem as palavras aqui escritas. Isso é algo que não cabe a mim julgar. Sei das minhas intenções... Sei do meu amor pela poesia... Sei da minha infinita sede de escrever..."
SEJA BEM VINDO - 9 ANOS DE POESIA! ! !

FÃS DE CARTEIRINHA

6 de out de 2013

O VELHO AMOR DE SEMPRE

"O velho amor mudou... Mudou de cara, de humor... Não gosta mais daquele romantismo. Gosta de tapa na bunda, de palavrão. O amor não gosta mais de poesia, não gosta mais de andar de mãos dadas, nem de fugir numa tarde de tudo só pra ficar juntinho. Amor mudou. O velho amor gostoso já não é o mesmo. É limitado, promíscuo, xulo, vulgar. Não compartilha, não compactua, não se humilha. O amor, aquele velho amor de sábado a tarde deitado juntos pelo prazer da cia, deixou de existir. É agora arrogante, cruel, prepotente, orgulhoso, rancoroso, morto.
O velho amor mudou e assim, quantos poeta sucumbiram na mesma dor. Eu confesso que tentei amar esse novo velho amor e chorei de dor. O velho amor em mim ainda é o mesmo e sempre será. Sou romântico, poeta, adoro as madrugadas, as palavras de amor na hora de amar, adoro o cheiro das rosas e seus espinhos, adoro as declarações rasgadas,os gritos, a saudade, os milhões de mensagens, ois inesperados, surpresas, café da manhã no parque Ibirapuera. Nomes eternizados no tronco de uma árvore. Só sei amar assim. Amor altruísta, amor gostoso. Amor."