20 de out de 2013

NÃO ESCREVER



Como um poeta
Pode
Não escrever o amor
Não viver o amor
De sempre
Não buscar
Não querer
Sempre a paixão
Viva, latente
No seu peito
Como um poeta
Pode deixar que morra
Tudo
O que de lindo há
Sem antes
Lutar
Tantas lutas
Em vão