"Se procura prazer, poderá encontrar aqui as suas mais diversas formas. Há quem procure palavras, há quem procure belas imagens, há os curiosos, os que admiram minha maneira de escrever. Uns julgam erótico. Outros julgam ser sensual e uns apenas lêem as palavras aqui escritas. Isso é algo que não cabe a mim julgar. Sei das minhas intenções... Sei do meu amor pela poesia... Sei da minha infinita sede de escrever..."
SEJA BEM VINDO - 9 ANOS DE POESIA! ! !

FÃS DE CARTEIRINHA

26 de mar de 2013

E DERREPENTE


e derrepente
o que era amor
já não é mais
é dor
é solidão
é quase desespero
e derrepente
o que se queria
perto
se quer distante
e o que fazia bem
agora faz indiferença
derrepente
o sim
vira não
e o talvez
imensidão
o dia
vira noite
e a noite
o mais triste
de todas as sepulturas
e derrepente
as flores
estão murchas
não há mais jardins
somente
ilusões
dos perfumes
que o vento levou
e derepente
não se entende mais
e não se quer mais
e não mais se vêem
quem se via
e não se entende
mais
o sofrimento que sentia
e derrepente
o que era
quente
esfria