19 de dez de 2012

ESTREMEÇO

Quando ouço
Tua voz
Quando te vejo
Chegar
Quando me abraça
Quando
Me beija
Quando me olha
Quando vai embora
Quando
Me deixa
Quando me chama
Quando derrama
Sobre mim
Teu corpo
Estremeço
Quando diz que me ama
Quando sente
Saudades
Quando toca de leve
Minha mão
Quando
Respira meu ar
Quando juntos
Somos um

EU SEI

Agora
Eu sei
O que Deus
Quer de mim
O que espera
O que sempre esperou
O porque me criou
Agora
Eu sei
Qual caminho seguir
Que palavra
Devo ouvir
E o que devo falar
Agora
Eu sei
Descobri
Que nunca andei sozinho
Que Deus
Sempre
Olhou por mim
E me carregou
E me sustentou
E me fez forte
Agora sei
Que amor devo amar
A vida que devo ter
Encontrei
Deus no meu caminho
Sorrindo
De braços abertos
Esperando por mim
Agora eu sei
O que Deus sempre quis de mim...

FECHO OS OLHOS

Fecho os olhos
E te vejo
Refletida
No espelho de minha vida
Fechos os olhos
E te acho
Sentada
No banco
Na beira de minha estrada
E te chamo
Para que viva
Um novo amor
Sem medo
De amar
Fecho os olhos
E te procuro
Na mesma estrada
Que sempre estive
E não olhei
Para trás
E não parei
E abri
Os olhos
E te encontrei
Sentada
No banco
Na beira do nosso caminho
Mãos estendidas
Esperando as mãos minhas

EU MORRI

Eu morri
Eu sei que morri
E em mim
Um outro nasceu
Sem nome
E sem idade
Sem cor
E sem graça
Cheio de medo
Cheio de amor
Sem saber direito amar
Eu morri
Eu sei que morri
Num dia qualquer
E renasci
Cheio de uma nova esperança
Feito criança
E reaprendi
A amar
O amor que sempre amei
E nunca soube amar
Eu morri
Sem esquecer
Tudo
O que já vivi
Sem querer
Viver
Mais o que eu vivia
Cheio
De um amor
Que não é mais meu
Agora é seu
Todo seu
Meu amor
Porque morri
E renasci pra te amar

TEMPO

Ando sem tempo
De viver
Vivo
Sem saber
Sem sentir o que vivi
Acordo
E nem respiro
Muito menos
Me espreguiço
E corro
E voou
E apressado
Vivo
Sem saber
Que vivo
A única vida
Que me resta
Ando sem tempo
Querendo amar
Todo o amor
Que me resta
Todo o amor
Que grita
Todo o amor
Que transborda do meu peito
Todo amor
Que derrama
Como leiteira
O leite frio que agora é quente
E se perde
Para nunca mais
Ando sem tempo
De viver toda vida
Que já não há em mim...

EU VOU

Eu vou
Vou com você
Vou sozinho
Vou com Deus
Sentar
De frente o mar
E deixar
Que ele
Leve
Todos os meus pensamentos
Meus instantes
E as dores
Que finjo
Não mais sentir
Vou com você
Ou vou só
Andar pela beira mar
Pensando em nada
Apenas
Respirar
A maresia
Da tarde que cai sobre mim
Ou sobre nós
Se for comigo
Ver o mar
Numa dessas tardes
De um dia qualquer...

BEIJO

Beijo
Tua boca
Seca de saliva
Salivo
Então
Na tua boca minha
Para que me beba
Quando
Partir
Para que meu gosto
Fique
Molhado
No teu corpo
Beijo
Tua face
Ainda que rubra
Gélida
Beijo
Seco
Para que minha saliva
Não escorra
Além dos
Cantos da tua boca
Beijo
Tua noite
Para que não esqueça
Dos beijos
Meus
Na tua boca minha
Nos dias
Que ainda nascerão...

VOCÊ

Você é meu vício
Minha paz
Meu tudo
Meu eu
Já não falo mais
Que amo
O amor está aquém
De tudo
De mim
De você
Coadjuvante
Entre nós
Você é minha estrada
Minha glória
Meus dias de lutas
Loucura
A dor
E a alegria
A sensatez
E a embriaguez
De minha’lma
A certeza
E a esperança
O medo do escuro
E a luz
O começo
E o fim de mim...

EU?

Eu?
Vou vivendo
O que a vida
Me dá
E o que eu quero
Da vida
Não brigamos mais
Entramos
Categoricamente
Num acordo
Acordo de paz
De dias iguais
Sem guerras
Nem pelejas
Eu?
Vou vivendo
Sem atropelos
Já cansei
De tropeçar
Em mim mesmo
Já cansei
De correr
Feito cachorro
Atrás do meu próprio rabo
Estou
Em paz com a vida
Eu?
Vou vivendo
Um dia de cada vez
Devagar
Para me sentir
Sempre
De frente ao mar

RODA GIGANTE

A vida
É mesmo
Uma roda gigante
A minha
Está parada
Nem em cima
Nem embaixo
Exatamente no meio
Posso ver
O que passei
E consigo imaginar
O que está por vir
Nem me assusto mais
Nem me emociono
Nem sinto mais
O frio na barriga
Quando a roda da vida
Começa a girar
Já me acostumei
Com tudo
Com as surpresas
Com os altos e baixos
E quando penso
Que já vivi e vi tudo
Vem Deus
E faz minha roda gigante
Rodar ao contrário...