17 de set de 2012

RESTA-ME

resta-me
viver
o que resta de mim
e sorrir
com meus estilhaços
espalhados
por ai
resta-me
o silêncio
das minhas noites
tantas mal
dormidas
e minhas tantas
xícaras
de café amargo
resta-me
as fotografias
e as lembranças tardias
resta-me
ainda
querer
que venha de novo
o sol
e que a chuva
por um tempo
não me molhe mais