26 de jan de 2012

HÁ TEMPOS

há tempos
não me sentia
assim
tão vulnéral
há tempos
não doia
essa dor
que conheço
bem
há tempos
não ficava
assim
perdido
tantas certezas
e certeza alguma
achei
que podia
controlar
minhas emoções
e perdi
pra mim
há tempos
não me sinto
menino
apaixonado
há tempos
minha boca
não sente
o doce gosto
da paixão
e meu coração
o calor
do velho
de sempre
há tempos