21 de jan de 2012

DERREPENTE

e derrepente
a gente
gosta
derrepente
a gente
quer
derrepente
a gente
se olha
e se vê diferente
derrepente
palavras
derrepente
querer
e derrepente
a gente sente
falta
e quer
e busca
derrepente
a gente
tenta explicar
e fingi
que não quer
e derrepente
as bocas
se encontram
os braços
se abraçam
e derrepente
sem querer
a gente
não consegue
mais parar
e não quer mais
esquecer
e não quer dizer
adeus
e derrepente
a gente acorda
feliz
para sempre