11 de nov de 2011

TÃO DIFERENTE

como
posso amar
alguém tão
diferente
de mim
diferenten
o modo
de amar
no modo de
sentir
como
posso querer
alguém
que não posso
ter por inteiro
sempre
nas sombras
no escuro
sempre de portas
e janelas fechadas
como posso
ir
se jamais
saberei
o que encontrarei
como viver
esse gostar
esse querer
como se tudo
é diferente
do que sempre quis
do que sempre desenhei