7 de nov de 2011

OLHOS FECHADOS

não
deixarei
mais meus
lábios
selados
nem meus
olhos
fechados
não ficarei
como
nunca fiquei
de braços
cruzados
não
deixarei
que o veneno
que contamine
que as raizes
fiquem
embrenhadas
em um
solo único
não deixarei
mais
minha espada
guardada
o vento
sempre
sopra a favor
dos justos
e os ímpios
secarão
e ao pó
retornarão