8 de nov de 2011

INDAGAÇÃO

não quero
saber
o que será
do amanhã
meu hoje
será
sempre
o mesmo
meu agora
estará
sempre presente
não farei
mais perguntas
não apontarei
mais
meus inimigos
não quero
mais
saber
mesmo sabendo
quem não gosta
de mim
não quero
os dias
de chuvas
quero as noites
de lua
quero os versões
e os ventos
que me acalmam
não quero
mais o amanhã
que nunca chega
quero meu hoje
meu agora
sem perguntas
sem respostas