25 de nov de 2011

AGORA

agora
o que tenho
e meu inferno
e minhas guerras
e meus dias
cinzas
sem luz
sem cor
agoram
e doí
uma dor lenta
insana
que me deixa
vivo
acordado
que me afasta
dos sonhos
agora
o que tenho
são as lembranças
de um tempo
que não vivi
são os desejos
de um amanhã
diferente
de hoje
agora
só me resta viver