4 de out de 2011

TANTAS HORAS

tantas horas
que joguei fora
que me matei
em silêncio
e não vi outrora
tanta horas
de minutos
infinitos
de gritos nem
sempre ouvidos
horas
de sufoco
de alegria
de nada disso
horas de mentira
horas de brincadeira
de homem
de menino
buscando crescer
querendo brincar
e as horas me consumindo
me seduzinho
me matando
quantas horas
tantas horas...